Aproveitar IA e IoT, grande conquista na batalha frontal contra os incêndios florestais

Além dos desastres ecológicos, impactando ecossistemas, comunidades e economias, a intensificação dos incêndios florestais devido às mudanças climáticas permitiu que a tecnologia emergisse como aliada crucial na luta contra essa crescente ameaça global. A inteligência artificial (IA) e a Internet das Coisas (IoT) estão transformando radicalmente a prevenção e gestão de incêndios florestais, desde a previsão até a resposta em tempo real. Essas tecnologias não apenas melhoram a detecção precoce, mas também revolucionam o planejamento de recursos, prometendo um futuro onde a colaboração global pode mitigar os impactos devastadores desses desastres naturais.

Os incêndios florestais intensificaram-se devido às mudanças climáticas, tornando-se uma iminente ameaça global. O que ocorreu nos últimos dias em diferentes cidades e áreas da Colômbia é um claro exemplo dessa situação. Trata-se de um problema que provoca desastres ecológicos, uma ameaça crescente para os ecossistemas florestais devido à perda de fauna e flora selvagem, para áreas rurais de alto risco, e também por suas importantes repercussões econômicas. Além disso, aumentam a pressão sobre os recursos para serviços críticos e sobrecarregados, como saúde e segurança, silvicultura, desastres naturais, agências de socorro de emergência e planejamento rural.

Os Estados Unidos, por exemplo, enfrentam um custo anual de até 893 bilhões de dólares como resultado desses desastres, afetando pagamentos de seguros, valores imobiliários e perdas de receitas. Outros países, como Austrália, Brasil, Indonésia, Canadá e alguns do sul da Europa, como Espanha, Grécia e especialmente Portugal, têm alta susceptibilidade a incêndios florestais, especialmente durante períodos quentes e secos, contribuindo significativa e dramaticamente para um aumento desmedido das emissões de carbono.

A gravidade e imprevisibilidade desses incêndios florestais apresentam desafios às estratégias tradicionais de extinção. Um relatório das Nações Unidas publicado em 2022 prevê um aumento potencial de 50% nesse tipo de incêndio até 2100, destacando sua impacto global e a urgência de contar com ferramentas avançadas e soluções inovadoras que remodelam a forma como esses eventos destrutivos podem ser detectados, monitorados e gerenciados para uma resposta mais eficaz.

A crescente frequência e gravidade dos incêndios florestais estão impulsionando a tecnologia para a vanguarda da prevenção. Isso significa que progressivamente os sistemas via satélite, algoritmos de inteligência artificial (IA) e a aplicação da Internet das Coisas (IoT) estão desempenhando um papel essencial na abordagem de desafios multifacetados, desde a detecção precoce até a gestão proativa e a colaboração global diante desses incidentes.

Startups de Firetech com abordagens inovadoras

No Canadá, onde a última temporada de incêndios florestais superou seus recordes históricos, provocou uma mudança nas estratégias de extinção. Na província de Alberta, por exemplo, com uma abordagem global e proativa, a IA está sendo usada como um complemento fundamental aos métodos tradicionais de extinção. Lá, a previsão e a predição mostram o potencial da IA e do IoT para revolucionar o planejamento de recursos, melhorar a tomada de decisões e reduzir o impacto desses incêndios devastadores em comunidades e ecossistemas.

O aumento das soluções dessas tecnologias de ponta é evidente em diversas estratégias de extinção de incêndios em todo o mundo. A fusão da tecnologia com os esforços nessa tarefa de extinguir o fogo está aumentando. Desde câmeras habilitadas com sensores de IoT e equipadas com sistemas de IA que procuram fumaça até constelações de satélites que detectam incêndios do espaço.

Rotuladas como “Firetech”, várias startups têm aproveitado abordagens inovadoras em torno da IA e do IoT para enfrentar essa crise. Um exemplo fundamental é a empresa alemã OroraTech, pioneira em tecnologia preditiva de IA, com uma solução global inteligente sobre a propagação de incêndios florestais, incluindo avaliação de riscos, detecção precoce, monitoramento em tempo real e análise de danos com dados de mais de 20 mini satélites em órbita terrestre baixa, que utilizam sensores infravermelhos térmicos com rápida transmissão de informações relacionadas.

As facilidades do IoT e da IA desses satélites consideram fatores como vegetação, níveis de umidade, previsões meteorológicas, dados de elevação para aprimorar a compreensão de como esses incêndios podem se propagar e até a disponibilidade de combustível, fatores que auxiliam as agências na prática de extinguir esses incêndios e até mesmo a direcionar estrategicamente os recursos.

Aplicando IA e IoT em diversas estratégias de extinção de incêndios

Enquanto startups como Overstory, Rain e Sensa IO Tech (nas florestas tropicais brasileiras) usam IA e IoT para análise de riscos com dados via satélite e drones autônomos para identificação e controle de incêndios florestais, a Pano AI, sediada na Califórnia, desenvolve um dos projetos mais eficazes ao usar câmeras em torres de telefonia móvel no topo de uma montanha para combinar dados de satélites meteorológicos governamentais com algoritmos de IA que permitem detectar a presença de incêndios em tempo real.

Outro exemplo é o Departamento de Silvicultura e Proteção contra Incêndios da Califórnia, CAL FIRE, a principal agência de extinção de incêndios do estado, que tem incorporado sistemas de IA e IoT em suas estratégias de manejo de incêndios florestais. Eles utilizam diversas tecnologias e se associam a empresas de tecnologia, instituições de pesquisa e outras entidades para analisar os dados fornecidos por mais de mil câmeras no topo de uma montanha, a fim de aprimorar a detecção e as respostas precoces. A ideia de expandir esse sistema para todo o estado da Califórnia tem como objetivo alertar rapidamente os centros de comando de emergência.

A utilização dessas tecnologias juntamente com algoritmos de aprendizado de máquina são o cerne de algumas colaborações globais, como o projeto FireAId, que surgiu em janeiro de 2022 como parte do Fórum Econômico Mundial para a Quarta Revolução Industrial, Koç Holding, e cujas abordagens de solução mostram como intervenções promissoras de IA podem ser ampliadas e replicadas em diferentes áreas geográficas.

O papel facilitador dos governos pode ser vital para alinhar e apoiar esses esforços na busca por melhorar a previsão de incêndios florestais. O projeto, apoiado por Microsoft, Google, Hewlett Packard Enterprise, Scale AI, Conservation International, Banco Interamericano de Desenvolvimento e NASA (com seu Sistema de Dados de Ciências da Terra – ESDS), entre muitos outros, é uma evidência da necessidade de que o setor privado participe como parte dessas parcerias múltiplas, interessadas em impulsionar uma resposta coletiva a essa crescente crise.

IA, o aliado poderoso

A participação nessas iniciativas por parte desses gigantes da indústria, como Microsoft e Google, garante que as ferramentas sejam acessíveis globalmente. Os modelos de IA da Microsoft, por exemplo, ajudam a identificar padrões e oferecem um mapa de probabilidade para orientar a alocação de recursos para socorristas. Eles se concentram na previsão de áreas propensas a incêndios por meio da análise de dados históricos, climáticos e informações geoespaciais.

Por outro lado, o programa de subsídios do GovLab para minimizar o risco e maximizar os resultados otimiza a alocação de recursos para reduzir os custos associados à alocação desnecessária de recursos para extinção de incêndios. Este projeto faz parte da empresa AltaML, que valida o valor comercial de cada caso e garante as condições necessárias para implementar e desenvolver com sucesso as soluções necessárias impulsionadas por IA e IoT.

A importância e a promessa dos esforços de colaboração envolvendo profissionais do campo e o aproveitamento de big data – mapas, imagens de satélite, padrões climáticos e até redes sociais – juntamente com a integração de IA e IoT nos sistemas de gestão de incêndios de ponta a ponta são fundamentais para aprimorar a mitigação precoce de incêndios florestais.

No entanto, persistem desafios, especialmente para garantir o acesso equitativo a ferramentas de IA em regiões com recursos limitados. Portanto, a iniciativa da Microsoft de oferecer sua ferramenta de IA como uma solução de código aberto destaca a importância de um acesso e colaboração mais amplos entre as agências de extinção de incêndios em todo o mundo. Enquanto o mundo enfrenta essa crescente crise de incêndios florestais, a IA oferece esperança para um futuro em que medidas proativas possam mitigar os impactos devastadores desses desastres naturais.

Com mais de 15 anos de experiência em soluções de IoT e agora de IA, a AZLOGICA®, multinacional colombiana com presença em dez países na Europa e América e comprometida igualmente com o Desenvolvimento Sustentável, possui uma série de ferramentas digitais que oferecem uma variedade de soluções na gestão, otimização e controle das diferentes variáveis, incluindo as meteorológicas por zona e a detecção precoce, a serem consideradas nas soluções que levam à prevenção e controle de incêndios florestais.

Essa integração da tecnologia IA e IoT da AZLOGICA® desenvolve soluções de monitoramento com mapas de distribuição, automação e otimização em tempo real dos fatores de risco, detecção de fogo ou fumaça e análise de danos, aquisição multimodal de dados tanto do evento quanto dos ambientes e atores adjacentes, como prefeituras, comunidades, forças especializadas como bombeiros e polícia, entre outros. Análises com painéis online que, com informações-chave baseadas nos dados coletados, geram relatórios inteligentes e, finalmente, o uso da IA para previsão, incluindo GPTs e linguagem natural para facilitar o acesso à tomada de decisões e ações precoces que permitam às autoridades responsáveis desenvolverem sua melhor estratégia.

Share the Post:

Related Posts

Join Our Newsletter

Questions? Let's Chat